Presidente da APDesign diz que solução dos problemas passa pelo design

O modo de pensar dos designers tem sido o grande responsável por soluções inovadoras dos negócios dos mais variados segmentos.

Porto Alegre – Design já foi moda. Já foi moeda. Agora é sinônimo de inovação. Por essa razão, executivos de todo o mundo estão buscando no design a possibilidade de garantir competitividade e a solução para os problemas complexos da atualidade. Evidenciar e promover esse entendimento é a principal meta do novo presidente da Associação dos Profissionais de Design do Rio Grande do Sul (Apdesign), Mário Verdi. Eleito em dezembro de 2010, Verdi cita o que chama de “designnovation” como palavra de ordem.

“Nunca absorvermos o real significado da palavra design no vocabulário de nossa língua. No início, o design era puramente estética. Depois, passou a ser entendido como valor agregado. Hoje, no entanto, o que ocorre é uma verdadeira revolução, pois o modo de pensar dos designers tem sido o grande responsável por soluções inovadoras dos negócios dos mais variados segmentos”, explica Verdi.

O presidente da Apdesign cita como exemplo a Apple e a Starbucks. De acordo com Verdi, toda o processo de criação dos produtos e serviços destas marcas passa pelo que se chama de “design thinking“, ou seja, um novo modo de pensar e fazer no qual o planejamento e concepção não termina no design, mas inicia a partir dele. “Infelizmente, em mercados tradicionalmente copiadores como o nosso, o designer é chamado nas etapas finais, somente para a maquiagem”.

Para Verdi, as empresas precisam estar atentas a essa quebra de paradigma, pois suas estruturas e organogramas tradicionais não garantem soluções para os problemas desafiadores do mundo atual. “Por exemplo, como dar conta de um problema muito simples, mas que afeta todos: ser customizado em série? Como ser global com identidade regional? Como oferecer novidades em tempo recorde sem comprometer a qualidade?”

Na verdade, garante Mário Verdi, no novo paradigma,o profissional de design apresenta-se como um colaborador decisivo na solução desses e inúmeros outros problemas modernos. Hoje, ressalta, são poucas as empresas que possuem um profissional de design integrando suas altas gerências e diretorias. No livro a Empresa Orientada Pelo Design, o consultor Marty Neumeuyer indica o designer como um dos profissionais mais bem preparados para dar essas respostas ou para, no mínimo, provocar um grupo para trilhar esse caminho. Mas Verdi complementa: “Não se trata da questão do currículo do designer, mas do modo de pensar. Isso é que faz a diferença. Steve Jobs não estudou design e é um dos maiores “design thinkers” de nossa geração.

“Entre os últimos ex-presidentes da Sony, vários eram designers. A coreana Samsung se reinventou completamente, pois antes era confundida como uma marca chinesa, sem valor agregado. Hoje é um dos maiores conglomerados de tecnologia do mundo. E isso está diretamente ligado a investimentos maciços em design voltado à inovação. O resultado são registros de patentes de diversos produtos inovadores como a TV de LED, para ficar em um exemplo”, destaca.

Em 2010, estudo da IBM com 1500 executivos-chefes de empresas de 60 países mostrou que, para enfrentar os problemas corporativos atuais, a criatividade vem em primeiro lugar. Para 60% dos entrevistados, a criatividade supera a integridade (52%) e até mesmo a dedicação (26%). De acordo com o levantamento, os dirigentes consideram que a capacidade de inventar soluções criativas é mais desejável na economia de hoje do que o perfil do “tocador de projetos”. De acordo com o estudo, as organizações sentem que, com a concorrência acirrada, não basta fazer um pouco melhor que as outras empresas, é preciso fazer algo diferente, e para isso precisam de inovação.

O resultado prático desta questão, afirma Verdi, será a inserção do designer na mesa de reuniões da alta diretoria das empresas. Não apenas como expectador, mas como protagonista dos processos de posicionamento e inovação de marcas, produtos e serviços.

Ainda em 2011, o novo presidente da APDesign pretende organizar um seminário internacional em Porto Alegre para discutir essa nova fase em que o design passa a ser compreendido, trazendo à Porto Alegre alguns dos mais renomados consultores e profissionais especializados neste assunto.

 

Fonte: Diário de Canoas

Sobre globalforumal

Global Forum América Latina é um movimento de inovação criativa para a cooperação entre universidades, empresas, poder público e sociedade com foco na sustentabilidade.
Esse post foi publicado em BAWB Global Forum AL e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s